Mitos e verdades sobre o crédito garantia de imóvel

O que posso ou não fazer com o meu crédito?

Você quer realizar um projeto de vida, seja reformar a casa, fazer uma grande viagem pelo mundo ou investir na sua própria empresa. Para isso, vai precisar de um empréstimo de longo prazo, valor alto e com o menor juro possível. Entenda mais sobre o crédito com garantia de imóvel, pois ele pode ser a sua melhor escolha.

O crédito com garantia de imóvel ainda é pouco conhecido no Brasil, mas não deveria. Diferente do que acontece em países desenvolvidos, onde o crédito com imóvel de garantia é uma das primeiras opções de financiamento da população, aqui no Brasil os consumidores veem a modalidade como última alternativa. Há pessoas extremamente endividadas que acabam perdendo o patrimônio por falta de conhecimento. Em certos casos, usar o imóvel como garantia para quitar outras dívidas mais caras é melhor do que vender o bem a qualquer preço.

O risco, é claro, tem que ser colocado na ponta do lápis. Como é o seu bem que está em jogo, é preciso se informar e conhecer todos os detalhes do processo. Antes de pegar essa modalidade de empréstimo, você tem que checar se ele está de acordo com as suas necessidades e possibilidades.

Veja a seguir o que é mito e o que é verdade sobre o empréstimo com imóvel de garantia.

VERDADE: As taxas de juros são menores

Uma das principais vantagens do crédito com imóvel de garantia é a taxa de juros, que é bem menor do que em outras modalidades, como o empréstimo pessoal, o cheque especial ou até mesmo o consignado — essa última é oferecida só a funcionários de empresas privadas, servidores públicos e aposentados pelo INSS.

Veja o juro médio mensal de operações de crédito com imóvel de garantia e compare com as taxas cobradas em outras modalidades de empréstimos, de acordo com números do Banco Central.

Modalidade de créditoTaxa de juros (pré-fixada) ao mês
Crédito com Garantia de
Imóvel – NOVI
1,14%
Crédito Consignado1,85%
Empréstimo Pessoal**6,28%
Cartão de Crédito*23,90%
Cheque Especial*26,30%

MITO: O banco quer tomar meu imóvel

Não, o objetivo do banco não é tomar o imóvel das pessoas. O Imóvel para o banco é igual a rede para o trapezista. Ele quer ter ali, só para garantir, mas não pretende usar.

Isso porque o imóvel para o banco representa custo. Já o empréstimo significa lucro (mesmo com a taxa de juros menor). Quando o cliente não paga e o banco fica com o direito de propriedade do imóvel, ele automaticamente se torna responsável pelos custos de manutenção do bem, como IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) e condomínio, se for um apartamento.

Quando o cliente fica inadimplente, é realizado um leilão de venda do imóvel. Se ele for bem-sucedido, o banco fica com a quantia que faltava para o devedor quitar a dívida e o restante fica com o ex-proprietário. Já se o leilão não for bem-sucedido, há uma segunda tentativa. E, se nenhuma das duas tentativas resultarem na venda do imóvel, o bem passa a ser 100% do banco.

VERDADE: Mesmo com o imóvel de garantia, devo comprovar renda

Este é um erro comum de quem pensa em pegar um empréstimo com imóvel de garantia: achar que não precisará comprovar renda. Na verdade, será preciso, sim. Pode ser apresentada movimentação bancária via extratos, holerite ou imposto de renda para comprovar a renda.

VERDADE: É possível mais de uma pessoa para compor a renda para avaliação

Uma das vantagens dessa modalidade de empréstimo é poder envolver mais do que uma pessoa para compor a renda para avaliação na análise de crédito. A comprovação de renda dos demais proponentes facilita a aprovação para obter o recurso desejado.

MITO: Não posso vender o imóvel que foi usado como garantia

Se você colocar o imóvel como garantia de um empréstimo, isso não significa necessariamente que será impossível vendê-lo, mas o processo vai ser diferente do convencional.

São duas operações que ocorrem de forma concomitante. Primeiro você negocia a venda do imóvel com o comprador e esclarece que parte do valor terá que ser usada para quitar a dívida com o banco, a qual tem como garantia o próprio imóvel. O comprador quita o saldo devedor e espera que o banco dê baixa na alienação fiduciária. O comprador pode, então, pagar o restante do valor do imóvel para o proprietário e passar a propriedade para seu nome.

É importante que as partes envolvidas na transação procurem auxílio de advogados para se certificar de que todos os passos sejam seguidos. O proprietário do imóvel não conseguirá, de forma alguma, vendê-lo sem antes quitar o seu débito com o banco e sem o termo que comprova esse pagamento.

VERDADE: Não posso colocar meu imóvel como garantia de uma 2ª operação

Esta é uma determinação do órgão regulador: cada imóvel só pode estar alienado para uma única operação. Ou seja, você não pode colocar como garantia de um empréstimo o mesmo imóvel que já está sendo usado como garantia em uma operação anterior.

MITO: O imóvel usado como garantia tem que ser meu

Não necessariamente o imóvel que servirá como garantia do empréstimo terá que ser seu, mas o dono do bem deverá estar de acordo com a operação e sua assinatura vai também estar no contrato. Ele é o chamado interveniente garantidor, ou seja, também entra como responsável financeiro pela dívida.

VERDADE: Só vou conseguir pegar empréstimo de até 50% do valor do imóvel

Esta é outra determinação do órgão regulador: a quantidade de dinheiro que o banco poderá emprestar ao tomador de crédito não pode ultrapassar o limite de 50% do valor do imóvel. É, novamente, uma forma de proteger tanto os bancos quanto os clientes.

A avaliação do imóvel é sempre feita por uma empresa terceirizada e a regra dos 50% vale para o valor de mercado do imóvel que essa empresa vai apresentar.

VERDADE: O crédito é de uso livre

O proponente sendo elegível, após a captação do recurso, poderá utilizar o crédito obtido qualquer finalidade que desejar.

MITO: O imóvel precisa ser averbado

O imóvel não precisa estar averbado nem com a documentação de construção/edificação regularizada para conseguir utilizá-la como crédito. Neste caso é considerado o valor do terreno.

Para saber mais sobre simulações e opções de crédito com garantia acesse nosso site:
http://novisolucoes.com.br/credito-com-garantia-imobiliaria/

‘* dados retirado da reportagem: Taxa de juros do cheque especial tem nova alta em janeiro e chega a 315% ao ano. Divulgada em:
https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,taxa-de-juros-do-cheque-especial-tem-nova-alta-em-janeiro-e-chega-a-315-ao-ano,70002737695 Acesso em: 13/05/2019

‘**media dos juros cobrados em fev/2019 pelos principais bancos brasileiros.