Aprenda a ser um bom empreendedor em tempos de crise.

O atual momento econômico do país apresenta inúmeros desafios para as empresas. As perspectivas são pouco animadoras e os analistas do mercado dizem que a crise financeira ainda perdurará por, no mínimo, dois anos.

Recessão, inflação, juros em alta, elevadas taxas de desemprego e aumento da inadimplência formam um quadro que requer atenção. Como manter um negócio em tempos tão difíceis? O que o empresário precisa fazer para obter sucesso, mesmo com tantas dificuldades? O que fazer para superar a crise?

Os empresários repetem essas perguntas todos os dias. Afinal de contas, as organizações e as pessoas sentem os efeitos da crise econômica. O varejo identificou que o consumidor está mais cauteloso, o que reduz as vendas. Por sua vez, isso se reflete na diminuição das encomendas à indústria. No entanto, o medo da crise não pode tornar-se sinônimo de apatia ou de paralisia. Aplicando conceitos de educação financeira, é possível enfrentar as dificuldades. Basta preparar-se de forma adequada.

Nova visão do negócio

Diante do quadro econômico, só resta ao empresário traçar estratégias que visem à redução dos efeitos da crise. Ele precisa adotar uma nova visão do negócio. Os tempos da “farra do consumo” acabaram, agora, qualquer erro de planejamento financeiro pode ser fatal para o negócio. Desta forma, exige-se do empreendedor mudanças na forma de conduzir a empresa. Veja sete dicas que o ajudarão a enfrentar a recessão.

1. Planejamento financeiro

O empresário precisa definir um planejamento financeiro para o seu negócio. Para isso, é necessário saber quais são os custos fixos e variáveis da empresa, aprimorar o modelo de gestão adotado e sofisticar a gestão financeira. Acompanhar de perto o desempenho do negócio facilita a tomada de decisões, permitindo identificar gastos maiores e reduzir custos. Para isso, é importante analisar os dados das ferramentas de controle da organização, tais como contas a pagar e a receber, comissões sobre venda, controle de estoque e fluxo de caixa.

2. Aposta na renegociação

Lembre-se que a crise também afeta os seus fornecedores, eles temem perder clientes. Eis a chance para renegociar contratos. Busque também a redução de taxas bancárias. Caso precise de empréstimo, pesquise a melhor opção, veja aqui nosso artigo sobre a melhor opção de empréstimo.

3. Opção pela inovação

Quem pensa que inovar consiste apenas em criar produtos ou serviços está enganado. A inovação pode vir com a mudança do layout da loja ou ainda com a implantação de um sistema mais econômico. Outro aspecto importante da inovação diz respeito a mudanças em procedimentos internos, forma de atuação e nicho de mercado. Identifique novas oportunidades.

4. Investimento em marketing

Se as vendas caíram, investir em marketing pode dar um novo fôlego aos negócios. Afinal de contas, o consumidor do produto ou serviço precisa saber que houve redução de preços, que os prazos de pagamento foram alongados ou qualquer outra promoção. Adotar a estratégia de marketing mais adequada ao negócio e ao perfil do consumidor pode fazer a diferença entre superar a crise ou quebrar.

5. Serenidade

Por pior que seja a crise econômica, o empresário deve manter o sangue frio. Isso permitirá que ele faça um planejamento financeiro eficiente e reúna as condições necessárias para enfrentar as turbulências geradas pela recessão.

No mundo dos negócios não há espaço para improvisos, amadorismo ou decisões tomadas com base apenas no feeling do empreendedor. A crise econômica desempenhará o papel de seleção natural das empresas, aquelas que se prepararem de forma adequada, conseguirão passar por ela mais facilmente. Cabe ao empresário buscar atalhos para driblar as dificuldades impostas pela recessão.

Sua empresa adotou alguma estratégia para enfrentar a crise econômica? Como ela vem se adaptando aos novos tempos? Conte-nos a sua experiência.

Não se esqueça de nos acompanhar nas redes sociais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *