Ainda no final de 2016, a equipe econômica do Governo anunciou uma série de medidas para estimular a economia e o país a sair mais rapidamente da crise. Entre elas, estão alterações nas regras do cartão de crédito, um dos maiores vilões para os endividados.

Mas como, na prática, essas medidas irão impactar as suas finanças pessoais? Confira neste artigo!

Cartão de crédito: as principais mudanças para o consumidor

Uma das formas de pagamento preferidas por nós, o cartão de crédito pode ser uma grande armadilha para o orçamento pessoal. Hoje, a inadimplência neste modelo chega a 36%, um dos principais motivos para o Governo definir medidas que alterem as suas regras. Conheça as principais delas:

Diminuição dos juros

A principal medida tem a ver com os juros do cartão de crédito, cobrados quando o proprietário do cartão opta por pagar o mínimo da fatura – também conhecido como rotativo. Esta é dívida mais cara existente hoje no mercado, com juros que chegaram a 482% ao ano em novembro de 2016.

Esses juros são definidos pelos bancos, que levam em consideração o potencial de calote por parte de usuários, que, em momentos de crise, tornou-se mais elevado. Agora, o Governo incentiva que esses juros caiam pela metade, com quedas previstas ainda para o primeiro semestre do ano.

Apesar de esta medida ser um alívio para os endividados no cartão, entretanto, esta continuará sendo uma das piores dívidas existentes, continue evitando-a o máximo que puder!

Parcelamento da dívida

Para que seja possível a redução dos juros do cartão, outra medida proposta pelo Governo é o parcelamento da dívida após 30 dias sem pagamento. Isso significa, na prática, que os juros do cartão irão incidir apenas por este período e, após, serão substituídos por taxas ainda menores do que atuais (estima-se que ¼ dos juros cobrados hoje).

Com isso, diminui o potencial “bola de neve” das dívidas no cartão, mas, da mesma maneira, continua a necessidade de atenção com os gastos nesta forma de pagamento.

Desconto à vista

Outra mudança autorizada por Temer é a possibilidade de os comerciantes oferecem desconto aos consumidores para o pagamento à vista. Este é um incentivo que desestimula as compras parceladas no cartão de crédito, ao oferecer um benefício direto principalmente para quem irá fazer uma compra de alto valor.

Quando começam a valer as mudanças no cartão de crédito?

Ainda há muita discussão em torno das novas medidas econômicas, tanto por parte de quem acredita que as mudanças terão um impacto positivo, quanto por parte de especialistas que não enxergam uma melhora significativa na economia a curto prazo.

Algumas mudanças, como o desconto à vista, já estão sendo praticadas, de acordo com a decisão dos lojistas sobre o valor a ser oferecido. Outros, porém, ainda levarão alguns meses para serem percebidos, como justamente, a comemorada queda na taxa de juros do cartão de crédito.

De todo modo, para o consumidor esta é uma oportunidade de aprender a usar de maneira mais saudável esta forma de pagamento, sofrendo menor impacto em seu orçamento na eventualidade de cobrança de juros, mas, principalmente, evitando que isso aconteça.